Quando eu era moleque no Rio de Janeiro, eu lembro que a métrica para saber se o seu aniversário tinha sido legal eram as lembranças que você e seus amigos tiveram naquele dia. Era legal que muita gente fosse para te prestigiar, que essas pessoas se divertissem e pronto. Era o suficiente. Várias vezes as […]
" />

Lembranças reais Vs Lembrancinhas de aniversário

April 20, 2010  |  Bizarro

Foto de Telemak

Quando eu era moleque no Rio de Janeiro, eu lembro que a métrica para saber se o seu aniversário tinha sido legal eram as lembranças que você e seus amigos tiveram naquele dia. Era legal que muita gente fosse para te prestigiar, que essas pessoas se divertissem e pronto. Era o suficiente. Várias vezes as pessoas nem levavam presente e você ouvia a clássica frase:

Minha mãe não teve tempo de comprar nada mas eu levo para você na segunda feira no colégio

Na real, poucos cumpriam a promessa mas tudo bem, ocasionalmente, era você quem falava essa frase então todos sabiam que a probabilidade era de que você não ganhasse dessa pessoa. Mas, essa pessoa pelo menos foi na festa, se divertiu, tinha histórias para contar e por aí vai.

Corta.

Muitos anos depois, em São Paulo, comecei a ir a festas de criança de filhos de amigos e depois de amigos do meu filho e tive contato com uma deturpação no conceito de lembrança do aniversário. Eram verdadeiros presentes por você ter ido na festa. Ou seja, você (no caso a criança) era presenteado por ir em um aniversário de um amigo.

Peraí. Mas hoje é a festa do seu amigo. Estamos aqui para celebrar o aniversário dele. É ele quem deve ser presenteado.

Eu não sei como começou tudo isso mas acredito que tenha a ver com o aparecimento dos buffets de festas infantis e os imãs de geladeira agradecendo a sua presença na festa. OK. Não é um presente. É realmente uma lembrança e um agradecimento.

Mas aí começa um ciclo vicioso perigoso. O sucesso do aniversário começa a ser medido não pela experiência mas pela lembrancinha dada aos convidados. E o jogo mudou. Pais começam a medir o seu amor pelos filhos pela grana investida na festa de aniversário do seu filho e nisso estão incluídas tanto o buffet infantil escolhido como a(s) lembrancinha(s). Que nesse momento, deixaram de ser apenas um imã de geladeira com um agradecimento e um saquinho de doces e balas.

As lembrancinhas se tornaram um presente caro e que muitas vezes são mais caros que o presente que o aniversariante ganhou. Mochilas com zilhões de coisas dentro, sorteio de viagens à Disney e muito mais. A festa de aniversário começa a ter cara desses eventos de negócios que nós, os pais, vamos. Tem brinde, sorteio e etc. Tudo em troca de uma lembrança de que a festa foi boa ou será que a lembrancinha foi boa e aí vira um negócio de associação.Lembrancinha boa=festa boa?

Mas será que é uma escolha economica? Imagine um pai, com dois filhos em idade escolar. Devem ser umas 20 festas de aniversário de amigos de cada filho, certo? Então é mais barato gastar mais numa lembrancinha mais cara e que você ganha desconto no volume do que presentes de aniversário legais (não necessariamente caros) para todos os amigos do seu filho. Acho difícil.

Mas aí chegamos a outro lado. Será que as lembrancinhas vitaminadas acabam sendo uma maneira de comprar a presença de outros amigos no ano seguinte? E será que esse ciclo vicioso vai levando os pais a disputarem entre si sobre qual a melhor festa, qual a melhor lembrancinha e por aí vai? Eu fiz uma festa legal. Se os pais de um amigo do meu filho fizerem uma melhor, será que a minha próxima festa será mais cara para tentar ter mais features que a concorrência?

E quando começam a ver outros pais e sua relação com os filhos como conconrrência, todos perdem. Morre um pouco do senso de comunidade. Do convite legítimo para uma comemoração e não um convite para uma exposição de “olha o quanto eu amo o meu filho, gastei o preço de um carro popular numa festa de aniversário de criança.”

É uma competição boba e que não leva a lugar algum.

Honestamente, eu não tenho nenhuma resposta. Mas o fato é que eu fiquei chocado com essa inversão de valores bizarra.

Não sei se isso acontece no Rio ou em outras cidades pelo Brasil, Eu só tive experiências desse tipo aqui em São Paulo e na Barra da Tijuca, que todos sabem, não é no Rio de Janeiro (piadinha de carioca).

Você quer saber qual foi a lembrancinha do aniversário do meu filho? Eu não digo. Vai que você vai usar isso como moeda para ir (ou deixar de ir) no aniversário dele do ano que vem?

A única coisa que digo é que eu fiz a minha parte e não fiz entrei na estatística das lembrancinhas multi-milionárias. E olha que a festa foi em buffet de festas infantis, com decoração legal e por aí vai. E quer saber? Meu filho adorou. E eu também.


4 Comments


  1. “eu fiz a minha parte e não fiz entrei na estatística das lembrancinhas multi-milionárias. E olha que a(S) festa(S) foi em buffet de festas infantis, com decoração legal e por aí vai. E quer saber? Meu filho adorou. E eu também.”

    Tamo junto MEU!

    Disse o que eu ia comentar!
    bjs

  2. Passion the website– extremely individual pleasant and lots to see!

  3. Many thanks for sharing this terrific webpage.

  4. Ei ,

    Eu vejo o site http://www.eisso.org e impressionante. Me pergunto se as opes de publicidade de contedo ou banners disponveis no seu site?

    Qual ser o preo se gostaramos de colocar um artigo em seu site?

    Nota: O artigo no deve ser qualquer texto como patrocinado ou anunciado ou como esse

    Felicidades
    anto desouza

Leave a Reply