Continuando com a cultura mashup

October 7, 2006  |  Fotos, Internet, Música
pinebender_2web.jpg

Pois é, foi só eu falar de cultura mashup e encher a bola do Beck que já vem gente falar que ele não inovou nada. O Pedro mandou um email com a foto acima (e outra) do Pinebender (que eu ainda não ouvi). Parece que essa banda fez uma idéia semelhante à do Beck mas cada um desenhava a sua capa. Depois de uma discussão saudável com ele sobre as limitações de cada opção, não chegamos a conclusão alguma. Mas valeu pelo debate.

E por falar de mashup, acabei a última da Globo: 8P. Uma mistura de Flickr com Orkut e Fotolog, totalmente feita por brasileiros e que promete vingar. O que isso tem a ver com mashup? duas coisas:

  1. é totalmente focada no usuário e o conteúdo criado por ele
  2. e também pode ser editado pelo usuário. Há uma função que permite que usuários possam alterar fotos de outras pessoas. Pelo visto eles adoram mashup

Eu só não vi nada sobre Creative Commons mas tudo bem…ainda dá tempo.

Ah! e quem quiser convites para 8P é só ver os 8 Porquês que no final eles dão um convite para você.

4 comments on “Continuando com a cultura mashup

  1. davi roque on said:

    dá um bizu aqui ó… www.ccmixter.org e no www.ccmixter.co.za ( q é o ccmixter da africa do sul )

    ah, eu faço uns sets com sons livres…

    massa. num sabia desse papo das capas… soube dum papo de tênis brancos pra galera pintar, mas q o povo usa branco mesmo…

    =)

    abraços!

  2. Manuel Bertelli on said:

    E ae Daniel!! Faz tempo que a gente não se fala né? Cara, nessa minha busca pelo umbigo brasileiro, tou descobrindo tanta coisa que me surpreendo. Enquanto a gente olha lá fora as “inovações”, esquece de prestar atenção no que o Brasil já fez e produziu de maluquices semelhantes.

    Esse disco do Tom Zé se chama “Jogos para Armar” – http://www.tomze.com.br/art67.htm – e, se a cultura “mashup” é a tendência, ele foi além e lançou, junto com o CD tradicional de músicas, um CD apenas com bases das músicas dele para que quem comprasse pudesse mixar, reinventar e recriar as músicas.

    Fantástico, não é? E o disco é de 2003. O que me entristece um pouco é buscarmos sempre referência lá fora e ignorar o potencial criativo que temos (em todas as áreas, não apenas no design).

    Olha o release do CD:
    “Batizado com o pai da invenção pela revista Rolling Stones, Tom Zé transita livremente entre as tradições musicais do nordeste brasileiro e a vanguarda internacional. Misturando poesia experimental com a fala popular, suas letras cantam as dores e prazeres do amor, as mazelas do que ele chama de “globarbarização” e o gosto agridoce do cotidiano urbano cheio de violência e injustiça, mas também de pequenas alegrias redentoras. Além de compositor genial, Tom Zé é um performer cativante e hilariante. Neste primeiro DVD, conhecemos seu estilo particular no palco que subverte o procedimento convencional de “show”, criando um ambiente livre para mudanças abruptas e brincadeiras surpreendentes. No DVD, destaca-se a música do aclamado disco Jogos de Armar, baseado em experiências sonoras com instrumentos eletrônicos inventados por Tom Zé, como o Hertzé, o Buzinório, o Enceroscópio, e a Serroteria. Encontramos leituras originais de uma variedade de estilos brasileiros, como samba, baião e o xote, e ainda, uma nova invenção dele, o chamagá. Em entrevistas inéditas, Tom Zé descreve sua trajetória como cantor satírico em sua cidade natal, no sertão baiano, estudante de música erudita na universidade, revolucionário tropicalista, vencedor do festival de MPB em 1968 e colaborador do músico e produtor americano David Byrne. Tom Zé é amplamente reconhecido no cenário mundial como um dos maiores inovadores musicais da atualidade, e agora vem atraindo novas gerações de admiradores e fãs no Brasil.”

    Um abração pra vc!

  3. Manuel Bertelli on said:

    Opa! Faltou esse trechinho:
    “Como se não bastassem todas as revoluções por minuto do CD básico há ainda um segundo disquinho (grátis) só com as bases para que o ouvinte interaja com o projeto inicial. À rala dieta musical prescrita pelo mercadão diluidor, Tom Zé contrapõe um banquete de signos & inovações. Haja apetite cultural!”

  4. denis on said:

    por favor mi ajudem achar o disco Cd do Tom Zé – Jogos de Armar para fazer o download … desde já agradeço !!! estou atras dele ah algum tempo !!!

    abraço

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

HTML tags are not allowed.